COLUNA MG

31 de dezembro

Rede de Notícias Sindijori MG

Exames eliminam risco de cólera 
    Os novos resultados dos exames laboratoriais deram negativo para o risco de alastramento da bactéria Vibrião Colérico, que transmite a doença da Cólera em Montes Claros. A Vigilância em Saúde da Prefeitura de Montes Claros explica que depois de constatada no início de dezembro, a existência da bactéria em ponto de esgoto não tratado, foi realizada nova coleta para servir de contraprova e o resultado saiu na terça-feira, com resultado negativo. Isso aliviou a situação, pois muitas famílias suspenderem o uso da água normal, com medo de contrair a doença. (Gazeta Norte Mineira- Montes Claros) 

Associação quer investir em vacinas
A Associação dos Municípios do Médio Rio Grande (Ameg), com sede em Passos, por meio do Consórcio Público, e o Instituto Butantan assinaram o memorando de entendimento para a compra de 400 mil doses da vacina Coronavac, contra a covid-19 desenvolvida pelo órgão, caso ela seja aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As 22 prefeituras da região assinaram o protocolo de intenções e 11 já ratificaram na Câmara, os outros 11 municípios devem fazer isso no próximo ano. (Folha da Manhã – Passos)
 

Cismepi estuda aquisição de vacinas
    Um plano para aquisição conjunta de vacinas contra a Covid-19 deverá ser apresentado nos próximos dias pelo prefeito eleito de João Monlevade, Laércio Ribeiro, que também é presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Piracicaba (Cismepi). A intenção é atender a população de Monlevade e das cidades de Catas Altas, São Domingos do Prata, Rio Piracicaba, Bela Vista de Minas e Nova Era, que também compõem o consórcio. Laércio Ribeiro terve uma reunião nesta quinta-feira, 31, com o futuro secretário de Saúde de Monlevade, Alysson Barcelos, para tratar somente do assunto. (Jornal A Notícia- João Monlevade) 

 

UFU recebe repasse de R$ 10 mi
    A construção do novo prédio do HC-UFU começou em 2012. Na época, a previsão era que a obra fosse concluída no prazo de três anos, mas elas já foram paralisadas e retomadas diversas vezes por falta de pagamento e problemas no projeto. A última paralisação aconteceu em janeiro de 2020 quando a antiga empresa rescindiu o contrato. Em dezembro deste ano, foi anunciada a assinatura do contrato com a nova empresa vencedora do processo licitatório, Engeform Engenharia. Segundo o pró-reitor da UFU, Darizon Alves de Andrade, os trabalhos no canteiro de obras já foram retomados e estão acontecendo dentro da normalidade. (Diário de Uberlândia)

 

Atingidos estão sendo pressionados
    Para a Cáritas Diocesana de Governador Valadares, a Fundação Renova está pressionando atingidos pelo rompimento da barragem da Samarco em Mariana a aceitar uma negociação em termos que são favoráveis apenas às mineradoras envolvidas na catástrofe que causou a morte de 19 pessoas e poluiu o rio Doce com rejeitos da mineração. A Cáritas é entidade prestadora de assistência técnica aos atingidos e, em comunicado às comissões de atingidos, criticou o sistema de busca ativa da Fundação Renova para o pagamento do sistema indenizatório simplificado. (Diário do Rio Doce- Governador Valadares) 


Executivo elabora e encaminha PL 
    A Administração Municipal encaminhou ao Legislativo um Projeto de Lei que solicita a alteração da nomenclatura do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB), promovido pelo Ministério da Saúde, para “Programa Previne Brasil”. O Projeto de Lei entrará para apreciação dos vereadores em reunião extraordinária que será solicitada à Câmara Municipal pelo Executivo na primeira semana de janeiro de 2021. A aprovação garantirá o pagamento dos servidores que atuando na Atenção Primária. (Nova Imprensa- Formiga)
 

Arcos contou com mais de R$5 mi
    Neste ano, foram disponibilizados R$5,1 milhõespara serem gastos com o enfrentamento da Covid-19 em Arcos. Segundo informações repassadas pelo secretário municipal de Fazenda, Dênio Dutra, dos mais de 5 milhões disponibilizados, R$3,4 milhões já foram empenhados (contratados) para os gastos com as ações de enfrentamento. Deste valor, apenas R$2,3 milhõesforam liquidados. Com isso, ainda há em caixa R$1,6 milhão para ser usado com a compra de materiais, contratação de pessoal ou prestação de serviços necessários. (Correio Centro- Oeste- Arcos) 
 

© 2020 Sindijori - Criado com o  Wix.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now