COLUNA MG

24 de abril

Rede de Notícias Sindijori MG

MG faz repasse para hospitais

Quatro hospitais sediados no Norte de Minas estão sendo contemplados pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais com o repasse de recursos superiores a R$ 385,8 mil destinados ao custeio de leitos de suporte ventilatório pulmonar, ainda não habilitados pelo Ministério da Saúde e demais ações de enfrentamento da pandemia da Covid-19. O repasse dos recursos, em parcela única, está previsto na Resolução 7.479, publicada dia 16 de abril. Para o Norte de Minas são 72 leitos disponibilizados por meio do SUS-Fácil. (Gazeta Norte Mineira- Montes Claros)

 

Falta de plano “trava” Itaúna

A Câmara de Itaúna colocou a Revisão do Plano Diretor novamente na pauta, o documento está com atraso de quase 3 anos, já que deveria ter sido revisado em 2018. O Plano Diretor (PD) é o planejamento que a cidade deve construir para direcionar o seu desenvolvimento. Sem o PD atualizado uma série de medidas que vão desde a implantação de novas aglomerações urbanas a até mesmo instalação de empresas, ficam paralisados. Com isso, a cidade literalmente para, esbarrada na falta de um direcionamento legal, aprovado pela comunidade e que aponta para onde e como a cidade vai se desenvolver. (Folha do Povo – Itaúna)

 

Poços poderá ter novos leitos

O governo de Minas anunciou que o repasse para financiamento de leitos de UTI por parte do Estado passará a ser de R$ 46 milhões mensais. O financiamento foi comunicado durante reunião com prefeitos das cidades que possuem mais de 100 mil habitantes, consideradas “cidades-polo”, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, Poços está participando deste incremento em leitos de UTI. Porém, a administração ainda não tem informações sobre a quantidade de leitos ou quando estarão disponíveis. (Jornal Mantiqueira- Poços de Caldas)

 

Educação como essencial

O Projeto de Lei que classifica como essencial os serviços de educação em Ipatinga foi aprovado pelos vereadores da Câmara Municipal de Ipatinga. De autoria do vereador Ney Professor, a proposta justifica que as aulas são preponderantes para o desenvolvimento humano, social, econômico e da cidadania plena. Segundo o vereador, não há nenhuma tratativa de forçar a abertura das escolas nem forçar pais a enviarem seus filhos para as salas de aulas. A vereadora Cida Lima defendeu que não há condições de ofertar aula em sistema híbrido. Votaram contra o PL os vereadores Cida Lima, Fernando Ratske e Mariene. (Diário do Aço- Ipatinga)

 

MP notifica Prefeitura

A macrorregião Oeste avançou para a Onda Vermelha do plano Minas Consciente A medida foi tomada durante a reunião do Comitê Estadual de Enfrentamento à Covid-19. No entanto, antes da decisão ter sido tomada, a macrorregião estava na Onda Roxa e alguns municípios da região já haviam flexibilizado as medidas, como por exemplo Lagoa da Prata, o que não é permitido. Por causa disso, o Ministério Público (MP) por meio da 2ª Promotoria notificou judicialmente a Prefeitura devido a este descumprimento, informando que caso o município continuasse com as flexibilizações na Onda Roxa, poderia sofrer penalizações. (Jornal Cidade MG- Lagoa da Prata)

 

Servidores recebem valorização

Profissionais da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Unisul, Uninorte, Laboratório Municipal, Vigilância Sanitária e Setor de Transporte da Secretaria de Saúde que atuam diretamente no combate à Covid-19 serão contemplados com uma valorização financeira em Araxá. O projeto de lei protocolado pelo prefeito Robson Magela no início deste mês foi aprovado por unanimidade pelos vereadores, na reunião ordinária da Câmara Municipal realizada na terça-feira, 20. Os servidores municipais concursados, contratados, efetivos e estáveis que atuam na prestação de serviços diretamente relacionados com medidas de enfrentamento e tratamento do coronavírus receberão um abono pecuniário de R$ 500 mensais já no próximo vencimento. (Correio de Araxá)

 

Prefeito tem bens bloqueados

O prefeito de Ipanema e sua esposa tiveram bens bloqueados pela Justiça, no valor de aproximadamente R$ 87 mil, por serem suspeitos de furar a fila da vacinação contra Covid-19. A decisão é do juiz Felipe Ceolin Lirio, da 2ª Vara Cível, Criminal e da Infância e da Juventude da Comarca de Ipanema, que deferiu parcialmente, em 15 de abril, a tutela cautelar de urgência pedida pelo Ministério Público (MP) em ação civil pública de improbidade administrativa. (Diário Tribuna – Teófilo Otoni)

© 2021 Sindijori - Criado com o  Wix.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now