COLUNA MG

16 de Julho

Rede de Notícias Sindijori MG
  1. Violência cresce em MOC
    O isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 obrigou inúmeras famílias a permanecer mais tempo em casa. Forma de evitar disseminação do coronavírus, a quarentena tem, porém, agravado um drama que já preocupa, assusta e revolta: a violência contra a mulher. Em Montes Claros, as denúncias de agressão física subiram de 217, em junho de 2019, para 265 no mesmo mês deste ano. Os dados são da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública do Estado. Os pedidos de medidas protetivas também aumentaram no município. (Jornal O Norte- Montes Claros) 
     

  2. Policiais fazem manifestação
    No sul do Estado, integrantes da Polícia Civil das unidades de Poços de Caldas, Itajubá, Pouso Alegre, São Lourenço, Três Corações, Varginha, Lavras e Campo Belo participaram de manifestações contrárias à aprovação da PEC 55/2020. A categoria, em todo o Estado de Minas Gerais, se diz contrária à reforma da previdência proposta pelo governador Romeu Zema. Semana passada ocorreu a primeira manifestação, que reuniu policiais do Estado todo em frente à Assembleia Legislativa de Minas Gerais. (Jornal Mantiqueira- Poços de Caldas) 
     

  3. JF pode migrar para onda branca
    Juiz de Fora e outras cidades da região devem migrar de onda dentro do programa Minas Consciente, com a adoção de regras mais flexíveis para o funcionamento de atividades diversas como comércio e prestações de serviços, em meio a um cenário de adoção de medidas restritivas de combate ao avanço da pandemia do coronavírus em todo o estado. Na noite desta quarta-feira, 15, informações davam conta de que deliberações internas do comitê estadual que discute as ações para deter a proliferação da Covid-19 definiu que a Macrorregião Sudeste. (Tribuna de Minas- Juiz de Fora)
     

  4. Projeto oferta atendimento 
    Composto por profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), a Secretaria de Saúde de Santana do Paraíso informa que criou o projeto “Tele Saúde”, que visa ofertar atendimentos por meio de ligação e vídeos para os pacientes e usuários dos serviços, contribuindo com ações de orientação e acolhida de demandas relacionadas à saúde. A iniciativa do “Tele Saúde” teve início com divulgação de vídeos sugerindo atividades que promovem a qualidade físico-mental da população, como orientações sobre a importância das medidas preventivas contra a covid-19; campanha contra o tabagismo; dicas de receitas; dentre outras ações. (Diário do Aço- Ipatinga) 
     

  5. Totens de água são instalados 
    O projeto “Mãos Limpas” vai instalar totens de água potável em oito pontos de alta concentração de pessoas em Divinópolis. O projeto faz parte do plano de ação ao enfrentamento da covid-19 e surgiu da necessidade de disponibilizar pontos de higienização básica para pessoas nas ruas. A iniciativa é promovida pela Prefeitura de Divinópolis, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), em parceria com a Copasa. O primeiro totem de água foi instalado na última quinta-feira, 9, na Praça Benedito Valadares (Praça do Santuário). (Portal Agora- Divinópolis)
     

  6. IF dará assessoria para empresas 
    Devido à pandemia do Coronavírus, o governo liberou diversos benefícios fiscais e econômicos para as empresas. Dessa forma, Marlene Pereira, professora do IF Sudeste - Campus Rio Pomba, decidiu trazer para Barbacena um Projeto de Extensão que tem como objetivo principal prestar serviço de consultoria para as pequenas e médias empresas da região. Inicialmente, o projeto atendia apenas empresas do município de Rio Pomba, mas pela proximidade das duas cidades e pelo fato de ambas serem sede do IF Sudeste MG, foi pensado na possibilidade de ampliar o alcance do projeto e atender também em Barbacena. (Folha de Barbacena)
     

  7. Varginha entra no pico da pandemia
    A Prefeitura de Varginha realizou nessa quarta-feira, dia 15, o Dia D de combate ao coronavírus. A data acompanha o momento da macrorregião Sul e do estado de Minas Gerais que tem curva ascendente na pandemia. De acordo com o secretário municipal de Saúde, o infectologista Luiz Carlos Coelho, é importante as pessoas entenderem a realidade local e não relaxar ao levar em conta outras situações como em Manaus (AM) que agora já está achatando a curva. O pico, ou melhor, o platô deve durar de duas a três semanas. (Gazeta de Varginha)
     

© 2017 Folha da Manhã - Criado com o  Wix.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now